domingo, 6 de fevereiro de 2011

Pensamentos de Analdo Jabor.

Ontem a noite, bem a noite mesmo, alguém me mandou esse texto, o qual fez bastante sentido para mim. É a primeira vez que posto algo relacionado ao que aconteceu nas últimas três/quatro semanas. Término de namoro é uma fatalidade, chorar é tão normal, por dentro e por fora. Pode ser que daqui à alguns dias, meses ou anos eu mude de ideia e ache isso a coisa mais idiota do mundo de se falar, porque como sabem, sou uma pessoa de fases. Mas porque não aproveitar? Se faz sentido hoje, é o que importa. 



                          [...]
               Detesto quando escuto aquela conversa:
                 Ah, terminei o namoro...
                 Nossa, estavam juntos há tanto tempo...
                 Cinco anos.... que pena... acabou...
                 é... não deu certo...
                Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou. E o bom da vida, é que você pode ter vários amores. Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam. Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro? E não temos essa coisa completa.
                          [...]
               Tem gente que pula de um romance para o outro. Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?
                Gostar dói. Muitas vezes você vai sentir raiva, ciúmes, ódio, frustração... Faz parte. Você convive com outro ser, um outro mundo, um outro universo. E nem sempre as coisas são como você gostaria que fosse... A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.

                Se alguém vier com este papo, corra, afinal você não é terapeuta. Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível. Na vida e no amor, não temos garantias. Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar. Nem todo beijo é para romancear.
E nem todo sexo bom é para descartar... ou se apaixonar... ou se culpar...

               Enfim...quem disse que ser adulto é fácil ?


                                      Relacionamentos - Arnaldo Jabor.

Um comentário:

O Garoto Perdido disse...

Este texto é muito bom e totalmente humano. Concordo plenamente!