sexta-feira, 22 de abril de 2011

O Visitante


Sempre imaginei o aeroporto do Galeão apinhado de pessoas. Tal foi a minha surpresa as oito e quarenta da manhã. Também, olha o horário. Eu verificava as horas em meu celular a cada dez minutos. Já estava angustiado. Mesmo que o vôo chegasse apenas as dez, lá estava eu. Não tinha informação do número, nem do portão e muito menos do terminal. Enquanto isso me entretia com músicas e pessoas. Ah, quantas pessoas. Incluindo alguns famosos. Bom respirar o sotaque de outros lugares. Ingleses, japoneses, alemães e brasileiros se mesclam numa mistura homogênea. Todos apressados com suas malas, alguns no guichê do chek-in, outros maravilhados com a vista das paredes de vidro. Por sorte, eu já estava no terminal um, onde não mais que de repente avistei-o. A típica cena da plaquinha levantada se repetia ao meu redor, e tratei de fazer o mesmo. Não que precisasse, mas apenas para quebrar o gelo inicial. Era ele, sim era. Alguma vez já sentiu algo dentro de você que falou: Isso não é real ? Eu senti isso quando o avistei, quando o abracei e sorri. Até então eu não conseguia acreditar que um amigo tão querido tinha "saído de dentro do computador" e pousado no Rio de janeiro. É uma sensação incrível. Ele existe. É de carne e osso, e sorrisos. Passamos pouco tempo juntos, até conseguir pegar um táxi e ir para o hotel. Incrível é ver que ele é exatamente como você o imaginou. Como eu o imaginei. Após quase três anos planejando esse encontro, ele finalmente aconteceu. É gratificante. É gostoso de sentir que um dia, pelo menos um dia, você pode tornar sonhos realidade. Pode fazer planos e ter a certeza de que eles se realizarão. Mais cedo ou mais tarde.

Alex Luciano, bem vindo ao Rio .

Um comentário:

Alex disse...

RAfa, confesso que fiqquei meio tensto, nervoso e tudo amis, pois são três anos, imaginando como é aquela pessoa, que eu falava diariamente epela internt.
Mas descobri que o mundo ainda tem pessoas que eu posso afirmar que são de bem, maravilhosas como vc.
As poucas horas que juntos apassamos serão guardadas para todo o sempres, por fotos (essas o tempo pode apagar) mas em nosso coração essa nem q agente queira essa lembrança vai sumir.
Só tenho algo para dizer, vc é tudo e mais um pouco, adorei mesmo conehcer meu amigo Rafa, aquele que sempre me ouvia me dava conselhops, puxava minha orelha, etc.. obrigado por moemntos tao felizes, espero voltar à ver vc em breve....abçss Alex Luciano