domingo, 7 de julho de 2013

Conheça as princesas de Claire Hummel

A internet está cheia de ilustrações de versões alternativas de princesas Disney. São princesas em diversas situações: com postura cômica, baby version, se fosse homens, poses eróticas e até com referências da cultura pop atual, como o trabalho do ilustrador Rodolfo Loaíza (você viu no Caneta). Agora, quem dá as caras por aqui para homenagear o universo dos contos de fadas é a americana Claire Hummel.

Claire "Shoom'lah" Hummel, é uma ilustradora nascida em Los Angeles e desde 2008 trabalha para a Microsoft Game Studios Publishing. Formada pela Rhode Island School of Design, Claire muitas das vezes, mexe com o que já existe. O que não a descredibiliza nem um pouco. O traço da americana se assemelha muito ao dos estúdios de Walt Disney; a genialidade de ambos caminha em paralela, e se cruzam no ponto onde Claire decidiu recriar as princesas dos contos infantis. 

O projeto, nomeado Historical Disney Princess, mostra as princesas longe de toda a alegoria criada pela Disney para entreter o público infantil. Claire Hummel recria os figurinos de suas princesas de acordo com a época em que as histórias são datadas. Com bom humor e sem perder a linha Disney, a ilustradora não deixa a desejar quando se trata de detalhes na indumentária da personagem. E faz comentários à parte em cada arte. Dá até para desejar um remake de cada animação com seus figurinos. 



Megara (Hércules, 1997)
Claire conta, bem resumidamente na legenda da arte em seu facebook, que esta foi a ilustração mais simples de se fazer, em questão de pesquisa. Em suas palavras, bastava por Megara em uma túnica dórica, pesquisar cores e padronagens, e pronto. Segundo Claire, o final soou como ela matando Hércules e levando seu capacete.

Bela (A Bela e a Fera, 1991)

"A Bela e a Fera sempre pairou hesitante no final do século 18, então eu refiz vestido de ouro da Bela para coincidir com a moda francesa tribunal de 1770." Claire Hummel.


Pocahontas (Pocahontas 1995)

"Eu não acho que isso é o que as pessoas estavam esperando, mas este é o mais perto das ilustrações de vestido do período, e eu meio que acho que é mais perto do projeto Disney que já fiz." 

 Tiana (A Princesa e o Sapo 2009)

Apesar de não ser sua princesa favorita, Claire conta que esperava muito para criar este figurino e começou a pesquisar o vestido logo no início de todo o projeto. Com base no estilo de roupas da estilista Lanvin, que ao contrário do estilo Melindrosa (década de 20), a maioria das pessoas associam com a Era do Jazz. É um vestido desenhado especialmente para a cena do beijo no pântano, clímax da animação.

Ariel (A Pequena Sereia, 1989)

Claire diz que foi difícil colocar a Pequena Sereia a partir de um período de tempo: o vestido rosa de Ariel com as mangas cortadas subscreve várias épocas desde a Renascença até a década de 1840. A ilustradora teve o vestido de casamento da sereia como ponto de partida, uma vez que as gigantescas mangas sejam um excelente ponto para um vestido de noite de 1890, segundo ela.

Branca de Neve (Branca de Neve e os Sete Anões, 1937)

"Honestamente? Eu só queria tirar essas malditas mangas cortadas. Ao contrário da Pequena Sereia,o período de tempo da Branca de Neve é muito fácil de identificar: Alemanha do século 16. Não que o filme seja preciso, mas as pistas estão lá, tomei uma ampla faixa de cerca de 1500 à 1530 para chegar a algo que ainda mantém o espírito do projeto original."

Malévola (A Bela Adormecida,1959)

"Eu queria Malévola para ser a primeira vilã da série há algum tempo, desde que fiz o salto mental entre seus chifres e os hennins (chapéus cônicos e altos) do século 15. O período de tempo funciona muito bem, na verdade, eu quis que ela parecesse um pouco mais datada de 1480. E todos os elementos em sua indumentária fazem analogias muito boas ao seu figurino oficial. Que coisa sexy."


Jasmine (Aladdin, 1992)

"Ok, está ficando mais e mais complicado, mas esta foi divertida. Vamos ser francos, Aladdin é praticamente um exercício de rigor histórico. Combine isso comigo sabendo muito pouco sobre o histórico de roupas do Oriente Médio antes de iniciar Jasmine e tem-se alguns dias de investigação antes de criar esta coisa. Demorou algum esforço para rastrear algumas roupas que descobrissem a barriga, mas agora eu sei o que são os "sirwal" (além da Calça Martelo), e que as mulheres persas usavam alguns casacos pequenos bem adoráveis, e que desejo muito!"

Mulan (Mulan 1998)

Segundo Claire, este ilustração deixou de ser divertida para rapidamente se tornar uma dor de cabeça, por ter a lenda se passando na Dinastia Wei, os hunos como uma ameaça real durante a Dinastia Han do Oeste, a Cidade Proibida da Dinastia Ming e em todas as outras dificuldades que envolveram suas pesquisas para compor o figurino.

Cinderela (Cinderela, 1950)

"Usei o meado de 1860 para o vestido da Cinderela, o período de transição, onde a crinolina assume uma forma mais elíptica. É importante notar também que ela foi feita por uma fada madrinha, por isso faz sentido que seus gostos sejam um pouco para trás nos tempos. Eu não podia decidir sobre um tema visual para todos os detalhes (sapatos, abóboras, ratos) então eu dei-lhe algumas listras e rendas góticas para compensar. E também desenhei ela perdendo o sapato direito, em vez do esquerdo e só recentemente percebi isso."

Aurora (A Bela Adormecida, 1959)

"Curiosamente, as roupas do príncipe Philip foram o melhor ponto de referência de Aurora. Criei algo em torno de 1485 - um pouco mais tarde do que se poderia esperar, mas é uma personagem e um filme tão estilizados que todas as expectativas que criei ficaram de fora."

Rapunzel (Enrolados, 2010)

Esta foi a última ilustração da americana, mas Claire assumiu que foi uma das mais difíceis de fazer, justamente por Enrolados não ter vínculos reais para qualquer período de tempo específico. Na busca de uma solução, Claire encontrou conceitos do séculos 16 e do 18 para compor o figurino da princesa, deixando o resultado bem característico do para-realismo.


Donzela Marian (Robin Hood, 1973)

Depois de questionada por muitas pessoas sobre a princesa animal da animação de Robin Wood, Claire comenta que ainda é difícil criar quando se está olhando para uma figura antropomórfica, mas ainda há detalhes que apontam para o século 15, como o corte do vestido, as orelhas disfarçadas como um hennin e as mangas.


Vale a pena dar uma conferida em todo o seu trabalho, no site: http://www.shoomlah.com/

Nenhum comentário: